Fundos de Investimento valem a pena?

A procura pelas formas de investir de maneira segura e com bons rendimentos tem feito com que muitas pessoas entrem nos fundos de investimentos. É normal encontrar esse tipo de aplicação nas agências bancárias ou nos escritórios de corretagem de ações e ele é um método interessante para quem não entende tanto de investimentos, mas quer fazer com que seu dinheiro seja multiplicado.

Esse é um tipo de fundo no qual mais de uma pessoa participa e, principalmente, onde existem profissionais para gerenciá-los. Desse modo, quem começa com um fundo de investimento não faz escolhas isoladas com relação a que ações serão compradas: existem analistas que mostram a esses clientes onde é mais indicado investir.

Uma comparação que muitos indivíduos fazem para explicar melhor o fundo de investimento é com um condomínio: nesse tipo de lugar existem centenas de pessoas morando e todos querem a mesma coisa, ou seja, que o lugar seja preservado e que os moradores tenham bem-estar em comum.

No fundo de investimento acontece a mesma coisa: existem diversas pessoas investindo em conjunto e cada uma delas tem o que é conhecido como cota. Os investimentos que esses indivíduos fazem com as suas quotas são livres, apesar de orientados pelos especialistas.

Uma vez que cada um dos cotistas pode investir da maneira que achar mais proveitosa, fica a dúvida sobre o motivo pelo qual procurar um fundo de investimentos. Uma das razões é a ideia de que o custo relacionado à manutenção desse fundo é mais acessível, além de muitas pessoas terem mais confiança pelo fato de mais gente estar na mesma aplicação.

Veja também:

Que fundos de investimentos as pessoas podem comprar?

Diversos tipos de aplicações são considerados fundos de investimentos, embora as pessoas não tivessem essa informação. Sendo assim, é muito simples encontrar um tipo de fundo que seja mais relacionado às possibilidades financeiras de cada cidadão.

Alguns dos fundos de investimentos mais conhecidos são o Offshore, o Fundo de Investimento em Direito Creditório, Cambial, Renda Fixa, Fundo de Investimento Imobiliário, Previdência e mais.

Os fundos chamados de Offshore, por exemplo, são muito citados e tratam-se de investimentos que se fazem no exterior, mas sem que o investidor precise estar no país em questão. Por isso, é possível que um brasileiro realize uma aplicação offshore na França, por exemplo. Já os investimentos referentes à creditórios são aqueles feitos em cima de títulos que precisam ser pagos a corporações, como parcelas de cartão.  

Como existem muitos fundos de investimentos e alguns podem se parecer ligeiramente, é indispensável que o corretor dê ao futuro investidor todas as diferenciações. Em especial, é preciso que as probabilidades de lucro sejam bem esclarecidas.

Cabe destacar que cada um dos fundos de investimentos tem o seu tempo para que o retorno seja visto; por causa disso, eles podem ser fundos de curto prazo, de ações ou de renda fixa. Os investimentos de curto prazo são os que trazem lucro para o investidor em menos tempo e dois fatores fundamentais para esses retornos são o Certificado de Depósito Interbancário e também uma taxa conhecida, que é a Selic.

Os fundos de ações são outra possibilidade para aqueles que querem receber mais rapidamente, mas isso não é uma coisa assegurada. Para que se receba, é preciso que as ações que aquele indivíduo escolheu tenham valorização. Além disso, existem os fundos ativos e também os fundos passivos.

Já os fundos de renda fixa são muito apropriados para quando o investidor tem mais tempo para aguardar sem que aquele lucro precise ser usado. Aliás, esse é um tipo de investimento considerado tradicional e que, na maioria das vezes, traz uma alta margem de retorno.

Benefícios

A rentabilidade é uma justificativa para quem escolhe o fundo de investimento e ela é observada em qualquer um deles. No caso da renda fixa, por exemplo, existem pessoas que conseguem 130% de retorno, o que transforma esse investimento em uma fonte de lucro importante.

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) acompanha esse tipo de fundo a fim de que os grupos administradores não prejudique quem os contrata. Com isso, os investidores ficam mais seguros e mais estimulados.

Ainda relacionada à segurança, tem-se a transparência como mais uma razão para que os fundos de investimentos sejam recomendados. Quando um investidor procura por um grupo administrador, ele é informado sobre os graus de risco, sobre quais são as regras e muito mais.

A participação em um grupo de investimentos é bastante acessível considerando a questão financeira: as pessoas não precisam colocar uma quantia muito alta, como é exigido quando se trata de ação imobiliária. Com os fundos de investimentos, qualquer trabalhador pode despender certo montante para ser aplicado.

Os fundos de investimentos podem ser vistos como uma espécie de poupança: os retornos referentes às aplicações ficam à disposição e os seus donos podem fazer seu resgate no caso de terem um problema financeiro, por exemplo. É possível resgatar tudo ou não e, para repor, basta que o indivíduo continue com as aplicações.

Quem integra o fundo de investimento?

Um dos termos que os investidores desses fundos ouvem bastante é o custodiante: esse é como o banco, ou seja, o local onde os lucros das aplicações ficam armazenados. No caso de o investidor desejar vender ou comprar algum título, isso será realizado pelo gestor; este é chefiado pelo administrador, que é o indivíduo que cuida do grupo de investimentos e de todos que atendem aos seus investidores.

Fundo de investimentos vale a pena?

Seguramente, essa é uma das maneiras mais fáceis de as pessoas fazerem aplicações financeiras, inclusive com uma taxa de risco que não é tão alta. O fato de tantos profissionais auxiliarem os que fazem parte do investimento é outra coisa relevante.

Cabe dizer que os fundos de investimentos conseguem atender aos investidores que são mais tradicionais e aos que querem aplicações mais arriscadas, sem contar que são muito acessíveis e também muito distintos. Por tudo isso, recomenda-se amplamente que os fundos de investimentos sejam utilizados.

Leave a Reply